Home Blog Page 2

Como Recuperar Dados de HDs e SSDs?

0
Reprodueccedil;eatilde;o

Parte de nossas vidas digitais está em dispositivos que armazenam dados: vem desde os clássicos HDs de computadores, passando por suas versões mais modernas, os SSDs e também pendrives – que hoje oferecem cada vez mais capacidade. O problema é que nenhum desses dispositivos é à prova de falhas. E quando elas acontecem, documentos, dados sensíveis, fotos, filmes e boa parte da nossa memória digital pode se perder.

Felizmente, em boa parte dos casos, essas falhas podem ser remediadas: a própria evolução tecnológica se encarregou de criar técnicas que conseguem recuperar os dados de HDs e dispositivos comprometidos. E a taxa de sucesso chega a ser de mais de 95%. Evidentemente que alcançar esse índice de eficiência requer equipamentos de última geração e profissionais capacitados para operá-los e entender o desafio que cada caso representa.

HD vs. SSD: Tecnologias diferentes, riscos diferentes

HD

Nos últimos anos, os desafios se tornaram ainda mais complexos, isso porque novas tecnologias de armazenamento foram desenvolvidas e aprimoradas. Nos primórdios da era digital, praticamente só se falava dos HDs – hard drives ou, traduzindo, discos rígidos – por serem estes, neste contexto, os dispositivos de armazenamento de dados com a capacidade de conter maior volume de arquivos.

Em um HD temos diversos mecanismos e cada um deles é responsável por uma determinada função que, em conjunto, fazem o dispositivo funcionar. Na imagem abaixo é possível ver cada um desses mecanismos.

Os discos rígidos, chamados de platters, possuem a função de armazenar os dados no dispositivo. Eles geralmente são feitos de alumínio e são cobertos por um material magnético que quanto mais denso é, maior a capacidade do disco. Os platters ficam posicionados em um eixo e este eixo é responsável por fazê-los girar. Já a cabeça de leitura, mecanismo responsável pela gravação e leitura de dados, é presa ao braço de leitura e é ela quem permite o acesso aos arquivos contidos no HD.

Justamente por se tratar de um processo mecânico, os HDs estão sujeitos a diferentes tipos de falhas, que podem decorrer, por exemplo, de choques ou batidas. Dependendo do impacto, os componentes internos podem ser danificados, impedindo que o processo de leitura dos dados flua normalmente.

Outro fator que deve ser levado em consideração é o tempo. Como estamos falando de um sistema mecânico, composto por várias partes móveis, o desgaste natural dos materiais também pode resultar em perda de arquivos importantes da empresa, fotos armazenadas no seu computador e dados em geral.

SSD

Novos tipos de sistemas de armazenamento vêm surgindo a cada dia. Entre eles, o mais importante ficou conhecido como SSD (Solid State Drive). Os SSDs são alternativas mais eficientes que os HDs: são menores e infinitamente mais rápidos que os HDs.

Reprodueccedil;eatilde;o

Os SSDs são baseados na tecnologia chamada de “flash drive”. Com algumas diferenças, esse tipo de tecnologia está presente dentro dos computadores, smartphones e pendrives. Porém, ainda que estejamos falando de um sistema mais confiável, os SSDs também estão sujeitos à diversas falhas.

Nesse caso, não temos um sistema mecânico, como no caso dos HDs – todas os dados são gravados e lidos eletronicamente. Ainda assim, os SSDs estão sujeitos a problemas que, muitas vezes, já estão presentes até na fabricação do dispositivo. É o caso de falhas na soldagem de componentes, por exemplo. Um outro problema – ainda mais comum – são as variações de tensões elétricas, causadas especialmente devido à falta de luz ou volta repentina da energia. Por vezes, essas variações não comprometem a fonte de um notebook, mas são suficientes para danificar o SSD e causar perda de dados importantes.

E que é possível recuperar dados de HD ou mesmo de SSD, ainda que os danos sejam grandes. Entretanto,não é tão simples e, dificilmente, um técnico de informática sozinho vá dar conta do recado, por mais capacitado que ele seja. A recuperação de dados de HD ou de qualquer dispositivo comprometido é uma verdadeira operação de guerra, que exige profissionais com diferentes formações e equipamentos específicos.

Felizmente, mesmo que estejamos falando de uma operação quase cirúrgica, os custos envolvidos nesse tipo de trabalho vêm caindo e já existem boas alternativas, inclusive no Brasil,para recuperar dados de HD e outros dispositivos de armazenamento.

Com Laboratórios em Belo Horizonte ? MG e em São Paulo ? SP, a HD Doctor é uma empresa que possui 19 anos de experiência e é referência em recuperação de dados.A empresa oferece serviços de recuperação de dados em HDs, SSD, Cartões de Memória, pendrives, servidores RAID e, ainda recuperação de dados criptografados ransomware.

Além disso, a HD Doctor está presente de Norte a Sul do Brasil, com mais de 20 unidades espalhadas pelo país, tornando mais simples e cômodo aos clientes o envio dos dispositivos para Análise e Recuperação de Dados.

Na HD Doctor, antes mesmo de fechar um orçamento, os clientes têm direito a uma análise gratuita e feita em 24h após a chegada do dispositivo em um de seus Laboratórios. Feita essa análise,o cliente recebe por e-mail um diagnóstico completo da situação do seu dispositivo e o orçamento do serviço e, somente então,tomará a decisão de seguir com o processo de recuperação de dados.

A empresa possui atendimento 24h, via telefone, pelo 0800 607 8700, pelo chat ou mesmo WhatsApp.Não perca tempo, envie o seu dispositivo para uma análise gratuita.

 HD Doctor, empresa referência em recuperação de dados de HDs

Google já Está Preparando o Seu Cartão de Débito em Alternativa ao Apple Card

0

As grandes empresas tecnológicas têm, nos últimos anos, tentado encontrar novas formas de se relacionar com os seus clientes. Depois de todos os produtos tecnológicos que vão criando, optaram por apostar nos produtos financeiros e nos pagamentos eletrónicos.

Um dos maiores exemplos chegou da Apple e do seu cartão de crédito, mas não será o único. Agora sabe-se que a Google também terá o seu cartão a ser preparado, mas com muitas diferenças face ao que a Apple tem.

Google cartão Android Apple Card débito

A Google tem investido forte nos sistemas de pagamentos. Canaliza estes pelo Android e torna-o uma parte integrante dos seus sistemas. Assim, independentemente da forma como o utilizador pretende pagar, a empresa está presente e com uma alternativa.

Uma grande novidade parece agora começar a tomar forma. Do que se sabe, a Google tem também em preparação o seu cartão. Será uma resposta ao que a Apple tem, mas com uma diferença substancial. O Apple Card é um cartão de crédito e a proposta da Google será de débito.

Claro que a integração com o Android será total, com os utilizadores a poderem gerir por aí o seu cartão. Especula-se que a Google leve ainda mais longe a integração e que seja possível localizar as compras pelo Google Maps.

Google cartão Android Apple Card débito

Claro que o próprio cartão servirá para efetuar pagamentos e identificar o utilizador. A presença do chip é lógica e é já um padrão da indústria, mas há outros elementos. Contará com um código para leitura e identificação.

No Android será possível gerir todos os elementos deste cartão, bem como fazer a sua gestão. Espera-se que a integração com o Google Pay app permita ativar ou bloquear este cartão, bem como gerir outros elementos do mesmo.

A Google foi pioneira nesta área há alguns anos, mas acabou por mover o foco para outras. Quer agora retomar a sua posição nesta área para voltar a ter uma posição dominante. Assim, e com os dados que poderá recolher, torna este mercado ainda mais interessante

Como Desligar Permanentemente a Publicidade Dirigida no Android

0

Os usuarios do Android sabem que a privacidade é um ponto sensível para a Google. Podem nem sempre estar protegidos, mas existe um esforço grande para manter o anonimato e a sua identidade escondida de terceiros.

Claro que o próprio sistema operativo da Google tem algumas ferramentas para estes se protegerem. Hoje explicamos como desligar permanentemente a publicidade dirigida no Android, com a alteração de uma simples opção.

Android publicidade dirigida privacidade Google

Ainda mais privacidade no Android

A personalização do Android é algo que é assumido. Os utilizadores podem alterar a forma como este se comporta de forma muito detalhada e com muita liberdade. Assim, este fica mais ajustado ao utilizador e ao que neste necessita.

Para dar um nível maior de privacidade, o Android tem uma opção que poucos conhecem e que acaba com a publicidade dirigida. Ao remover o identificador único, este deixa de poder ser identificado de forma única e direta.

Android publicidade dirigida privacidade Google
Android publicidade dirigida privacidade Google
Android publicidade dirigida privacidade Google

O fim da publicidade dirigida ao utilizador

Comecem então por abrir as Definições do Android e desçam neste menu até encontrarem a opção Privacidade. Esta poderá estar em vários locais, dependendo da marca do fabricante do smartphone que estiverem a usar.

Aqui dentro vão encontrar várias opções, mas a que procuram não está imediatamente visível. Comecem por abrir primeiro a opção Avançadas, que vai mostrar uma lista maior de opções nesta área. De seguida escolham a opção Anúncios.

Android publicidade dirigida privacidade Google
Android publicidade dirigida privacidade Google

A Google dá liberdade ao seu sistema operativo

Por fim, e para terminar o processo, devem ativar uma única e simples opção. Esta chama-se Excluir a Personalização de anúncios e deverá estar desligada. Ao ser ativada, irá esconder das apps o identificador único do utilizador.

Esta é a opção que querem ter ativa para garantir um pouco mais de privacidade no Android. Não elimina a publicidade, mas ao menos é aleatória e não dirigida ao utilizador, tentando influenciá-lo para comprar diretamente.

Apple Lança Oficialmente o Novo iPhone SE de Segunda Geração

0

Retina HD de 4,7 polegadas e Touch ID.

O novo iPhone SE é equipado com o A13 Bionic, projetado pela Apple , o chip mais rápido em um smartphone, para lidar com as tarefas mais exigentes. O iPhone SE também possui o melhor sistema de câmera única já existente em um iPhone, que libera os benefícios da fotografia computacional, incluindo o modo Retrato, e foi projetado para suportar os elementos com resistência à poeira e à água.

“O primeiro iPhone SE foi um sucesso entre muitos clientes que adoraram sua combinação única de tamanho pequeno, desempenho sofisticado e preço acessível; o novo iPhone SE de segunda geração se baseia nessa grande idéia e a melhora de todas as formas – incluindo o nosso melhor sistema de câmera única para ótimas fotos e vídeos – e ainda assim é muito acessível ”, disse Phil Schiller, sênior da Apple vice-presidente de marketing mundial. “O iPhone SE apresenta o desempenho líder da indústria do A13 Bionic, que permite ótima duração da bateria, tira fotos impressionantes do modo Retrato e Smart HDR, grava vídeos incríveis com áudio estéreo, é ótimo para jogos e navegação na web super rápida e é construído com o mesmo recursos de segurança líderes do setor que nossos clientes esperam. Mal podemos esperar para colocar o iPhone SE nas mãos dos clientes. ”

Design popular com uma tela de 4,7 polegadas
A13 Bionic – o chip mais rápido em um smartphone
Nova experiência de câmera fornecida pela A13 Bionic

Preço e disponibilidade

● O iPhone SE estará disponível nos modelos de 64 GB, 128 GB e 256 GB em preto, branco e vermelho (PRODUCT) RED a partir de US $ 399 (EUA). Os clientes também podem obter o iPhone SE por US $ 9,54 por mês ou US $ 229 com troca da apple .com, noaplicativoda Apple Store e na Apple Stores.6 O iPhone SE está disponível através derevendedores autorizados da Apple e operadoras selecionadas (os preços podem variar).

● O iPhone SE está disponível para pré-venda no Apple .com e noaplicativo Apple Store a partir das 5h PDT de sexta-feira, 17 de abril, e estará disponível na Apple , AppleRevendedores autorizados e operadoras selecionadas na sexta-feira, 24 de abril, nos EUA e em mais de 40 outros países e regiões.

● O Apple TV + está disponível no aplicativo Apple TV no iPhone, Apple TV, iPod touch, Mac e outras plataformas, incluindo online (tv. Apple .com), por US $ 4,99 por mês, com uma avaliação gratuita de sete dias. Os clientes que adquirem o iPhone SE podem desfrutar de um ano do Apple TV + gratuitamente.

● Os clientes com perguntas sobre o iPhone SE ou qual iPhone é o ideal para eles podem entrar em contato com um especialista em 1-800-MY- APPLE ou iniciar um bate-papo em Mensagens diretamente no aplicativo Apple Store.
Quem compra on-line da Applereceberá entrega em domicílio gratuita sem contato e a opção de trocar seu iPhone atual por crédito referente à compra do iPhone SE.

● Os clientes recebem 3% do dinheiro diário ao comprar o iPhone SE da Apple com o Apple Card.
Os clientes podem estender sua garantia limitada com AppleCare + e AppleCare + com roubo e perda e obter acesso prioritário 24/7 ao suporte técnico.

● Parte dos recursos provenientes das compras do iPhone SE (PRODUCT) RED irá diretamente para a recém-estabelecida resposta COVID-19 do Global Fund – fornecendo financiamento para países que precisam de EPI, tratamento de diagnóstico, equipamento de laboratório, comunicações de segurança pública, suporte à cadeia de suprimentos e muito mais – bem como subsídios de HIV / AIDS que oferecem programas de teste, aconselhamento, tratamento e prevenção, com um foco específico na eliminação da transmissão do vírus das mães para os bebês.

Fonte: iClarified

A Xiaomi Precisa de Uma Maneira Melhor Para Desvincular Seus Dispositivos em Vez das Contas Mi Autorizadas

0

Ao longo dos anos, a Xiaomi se tornou o garoto de ouro do mercado indiano de smartphones. De ser apenas uma entidade iniciante em 2014 a se tornar o principal OEM de smartphone no mercado por vários trimestres consecutivos em 2019, certamente foi um passeio selvagem para a Xiaomi. Nós da XDA-Developers testemunhamos o crescimento da empresa nas regiões urbanas da China e a conquista de mercados no sudeste da Ásia e, mais recentemente, também avançamos em partes da Europa. A Xiaomi também amadureceu como OEM de smartphones – práticas que antes eram de má qualidade e questionáveis ​​amadureceram e evoluíram para melhores práticas à medida que a empresa planejava o caminho. E, embora definitivamente haja sempre espaço para melhorar até mesmo para as melhores entidades, a Xiaomi está em um bom local como OEM de smartphones no momento, onde eles podem se orgulhar e humilhar ao mesmo tempo.

A ameaça do Revendedor-Spamware em 2016

Quando a Xiaomi era mais jovem, em 2011-2015, vários de seus dispositivos foram enviados com carregadores de inicialização bloqueados que eram fáceis de desbloquear. Isso geralmente era ótimo para a comunidade de desenvolvimento escassamente povoada na época, e ajudou a compensar as violações de descrédito da Xiaomi, então frequentes na GPL, trazidas naquela época. A facilidade de modificar esses dispositivos Xiaomi e o fato de alguns deles oferecerem valor por dinheiro de uma maneira nunca vista antes, ajudaram a empresa a aumentar sua popularidade e a construir sua própria comunidade Mi, estendendo-se além do MIUI como software para a Xiaomi como hardware e software.

À medida que os dispositivos Xiaomi se tornaram populares, sua demanda aumentou em várias regiões nas quais a Xiaomi não estava pronta para entrar. Os revendedores aproveitaram a oportunidade para comprar dispositivos Xiaomi da China e revendê-los não-oficialmente fora da China. Os telefones da China não eram (e ainda não são enviados) com o Google Mobile Services; portanto, esses revendedores tiveram que atualizar o Google Apps nos telefones antes de vendê-los no exterior. A MIUI China também incluiu apenas o inglês e o chinês como idiomas disponíveis; portanto, alguns revendedores começaram a recorrer a ROMs personalizadas com suporte a idiomas mais amplos para induzir os clientes a pensar que o telefone adquirido tinha uma ROM “MIUI Global” genuína. Como sabemos, as ROMs personalizadas também não são perfeitas; portanto, os clientes geralmente ficam presos a construções de buggy que não são mais atualizadas.

Com o tempo, vários desses revendedores não oficiais também começaram a injetar adware e spam no firmware para ganhar algum dinheiro além da venda do dispositivo. Consequentemente, houve um período em 2016 em que começaram a surgir reclamações de dispositivos Xiaomi pré-carregados com malware – que eram os revendedores e não a Xiaomi. A facilidade de modificar esses dispositivos estava sendo explorada por esses revendedores, e a Xiaomi foi forçada a dar um passo à frente, já que sua reputação estava sendo prejudicada ativamente aos olhos dos consumidores.

Ferramenta Mi Unlock Para Desbloqueio do Bootloader

No início de 2016, a Xiaomi fez uma mudança crucial no processo de desbloqueio do carregador de inicialização .Começando com o Xiaomi Redmi Note 3 ,desbloquear o carregador de inicialização exigia a aprovação manual da Xiaomi.O novo método de desbloqueio se baseou fortemente na Xiaomi Mi Unlock Tool e na Conta Mi,e as solicitações de desbloqueio foram supostamente aprovadas manualmente.A resposta às solicitações de desbloqueio do carregador de inicialização pode levar de 3 a 21 dias, e até 60 dias de espera foram relatados em alguns casos. Adicionar um tempo de espera ao processo de desbloqueio do carregador de inicialização foi eficaz para diminuir a velocidade das operações de varejistas terceirizados,mas também era compreensivelmente irritante para os entusiastas que desejavam desbloquear o carregador de inicialização para fazer root no dispositivo,ROMs personalizadas em flash e kernels personalizados em flash.

Apesar dessas restrições, ainda havia maneiras determinadas de revendedores colocarem software não oficial em dispositivos Xiaomi, sem precisar desbloquear o gerenciador de inicialização. Isso foi possível através do modo EDL em dispositivos baseados na Qualcomm e no modo Download em dispositivos baseados no MediaTek.

O Problema: Bloqueio de EDL

EDL significa Emergency Download Mode, e é um modo de inicialização alternativo em todos os dispositivos Qualcomm, existindo ainda mais baixo que o carregador de inicialização padrão. Esse modo de inicialização, bem como o Modo de download em dispositivos MediaTek, são comumente usados ​​em centros de serviços para desmarcar dispositivos. E é precisamente aqui que existem problemas para a Xiaomi em 2020.

Naquela época, os revendedores descobriram que a utilização de técnicas de flash baseadas em EDL lhes permitiria ignorar os tempos de espera associados ao Mi Unlock Tool. Isso então forçou a Xiaomi a bloquear o modo EDL e o modo Download em seus dispositivos. Uma vez bloqueado,esse modo pode ser acessado apenas por um “programador” autorizado pela Xiaomi, o que significa essencialmente que o modo EDL não pode ser usado, a menos que você tenha uma “Conta Mi autorizada”. E para garantir ainda mais que os revendedores tenham menos um caminho a explorar, a Xiaomi fez com que os dispositivos que não são da versão Global não pudessem inicializar uma ROM MIUI Global (com a mensagem de aviso “ Este MIUI não pode ser instalado neste dispositivo”). A mesma história se estende aos dispositivos baseados no MediaTek – o MediaTek utilizou uma SP Flash Tool especial para exibir imagens, mas nos dispositivos Xiaomi-MediaTek, você não pode exibir imagens em flash usando o SP Flash Tool,pois ainda precisa de uma conta Mi autorizada.

Esse bloqueio serviu seu objetivo para a Xiaomi: reduziu os relatórios de malware em dispositivos adquiridos de revendedores, pois eles não tinham uma maneira lucrativa de carregar uma ROM diferente. No entanto, como dano colateral,isso também eliminou os métodos disponíveis para os entusiastas para desmarcar o dispositivo Xiaomi, independentemente do SoC. No momento,como está atualmente, se você cria um dispositivo Xiaomi, e a única maneira de reviver o telefone é fazer flash de imagens no modo EDL,então você precisa de acesso a ajuda externa – não há outra maneira. Quando você chega a esse estágio, precisa levar o dispositivo a um centro de serviço da Xiaomi para liberá-lo.Existem algumas nuances adicionais também, que abordaremos um pouco.

O caso do Xiaomi Redmi Note 8 Pro

O problema de bloqueio de EDL que anunciamos acima afetou apenas uma pequena margem de clientes da Xiaomi. Afinal,se o seu dispositivo funcionar corretamente, você nunca encontrará esse problema. Somente quando você bloqueia o dispositivo, você descobre que essa restrição existe. É improvável que a maioria dos clientes comuns realize ações que bloqueariam seus dispositivos,a menos que a Xiaomi lance uma atualização de software com defeito,nesse caso, eles não teriam opção senão ir a um centro de serviço.

O problema é agravado para a comunidade de desenvolvimento personalizado, cujos interesses nós representamos.Os entusiastas da ROM personalizada devem ter em mente várias coisas ao optar por desbloquear o gerenciador de inicialização no dispositivo Xiaomi, incluindo,mas não se limitando à estranha proteção anti-rollback da Xiaomi, que colocará seu telefone no estado EDL bloqueado. Por tentativa e erro, a comunidade descobriu essencialmente as ações que precisam evitar, a fim de evitar problemas nos dispositivos Xiaomi-Qualcomm.

Mas eles não podiam fazer isso nos dispositivos Xiaomi-MediaTek, já que a Xiaomi não fazia lançamentos notáveis ​​para essa combinação fora da China há alguns anos. Os problemas acima mencionados,portanto, têm um desenvolvimento complicado para o Xiaomi Redmi Note 8 Pro com seu MediaTek Helio G90T.

Se você se lembra,a Xiaomi nos deu 5 unidades para dar aos desenvolvedores de ROM e kernel personalizados,a fim de promover uma comunidade de desenvolvimento em torno do dispositivo.A Xiaomi finalmente adotou o MediaTek SoC,e isso também em uma de suas linhas de dispositivos mais vendidas.Esta foi a oportunidade perfeita para os esforços de desenvolvimento personalizado baseados no MediaTek finalmente ganharem força, então nós e a comunidade ficamos empolgados em ver aonde isso levaria.Talvez o MediaTek possa surgir como uma alternativa viável aos SoCs da Qualcomm Snapdragon no contexto do desenvolvimento de pós-mercado? O potencial certamente existia.

Com esse objetivo, a Xiaomi prometeu liberar fontes do kernel para o dispositivo e ,apesar de serem lançamentos impróprios na época, mas para crédito da Xiaomi, os problemas com as fontes foram corrigidos. Das 10 unidades originalmente prometidas a nós para desenvolvedores, 5 foram recebidas por desenvolvedores sediados na Índia. Infelizmente, as 5 unidades marcadas para desenvolvedores fora da Índia não puderam ser entregues devido a dificuldades logísticas.Apesar dos contratempos, o Redmi Note 8 Pro ainda estava em uma posição decente por causa do potencial que possuía.O dispositivo obteve versões não-oficiais do TWRP em pouco tempo e até recebeu versões da Xiaomi.eu (ROM personalizada) para uma experiência MIUI debloated.

Mas então as coisas começaram a piorar.Os desenvolvedores que estão desenvolvendo para o Redmi Note 8 Pro descobriram que o dispositivo tende a ficar bloqueado por algumas razões. Alguns tiveram seu telefone bloqueado quando estavam piscando para a partição de recuperação a partir da recuperação, enquanto outros descobriram que a instalação de uma ROM padrão através do fastboot em um gerenciador de inicialização desbloqueado também bloqueia o dispositivo. Gostaríamos de salientar, nesta fase, que esses tijolos em novos dispositivos são uma parte esperada do processo de desenvolvimento , pois as coisas tendem a ser diferentes entre os dispositivos e existe uma quantidade razoável de tentativas e erros envolvidos para descobrir o que fazer e o que não fazer em um determinado telefone.

Os APARELHOS MORTOS são normais, mais ainda no processo de desenvolvimento inicial de um dispositivo com um novo SoC. O que é anormal é o bloqueio do modo EDL da Xiaomi.

Normalmente, os dispositivos MediaTek em blocos podem ser revividos usando a SP Flash Tool do MediaTek. No Redmi Note 8 Pro, no entanto, a SP Flash Tool do MediaTek falha ao piscar o dispositivo. A Xiaomi envia uma versão modificada do SP Flash Tool com seu pacote de software MiFlashPro, e a tentativa de piscar usando esta SP Flash Tool modificada da Xiaomi abre uma janela que solicita credenciais da conta Mi. Se você inserir suas credenciais padrão / regulares da Conta Mi, o flash falhará com o erro “ Não autorizado para esta operação. ”Agora você atingiu o mural“ Conta Mi autorizada ”que destacamos nas partes anteriores deste artigo.

Mensagem de erro ao piscar através da ferramenta SP Flash modificada da Xiaomi

Isso significa que toda vez que você redefine seu Redmi Note 8 Pro, você precisa visitar um centro de serviço e liberar o dispositivo. O nível de aborrecimento aumenta o coletor,pois podem ocorrer tijolos, mesmo se você estiver tentando exibir uma “ROM de inicialização rápida” – que é uma prática muito comum em outros dispositivos Xiaomi. Existe uma alternativa para certos dispositivos Xiaomi-MediaTek mais antigos , nos quais os usuários podem usar um arquivo Download Agent modificado e um arquivo de autenticação modificado para ignorar o requisito de permissão da conta – mas esses métodos ainda não existem para o Redmi Note 8 Pro.

A conseqüência desse “obstáculo” é que os desenvolvedores se afastaram do desenvolvimento do Redmi Note 8 Pro (begônia).Os desenvolvedores da Xiaomi.eu há muito tempo abandonaram o suporte ao dispositivoporque a facilidade de colocar o telefone em conjunto com a dificuldade de remover o telefone cria uma combinação horrível.Outros trabalhos de desenvolvimento também diminuíram a velocidade de rastreamento, pois os desenvolvedores acabam com dispositivos em tijolos com muita frequência, forçando-os a visitar um centro de serviço. Para alguns, uma visita não é possível; portanto, os desenvolvedores ficam com o que é essencialmente um peso de papel muito sofisticado.Também vale ressaltar que existe um próspero mercado cinza de contas Mi autorizadas – você paga valores que variam de ₹ 300 a ₹ 600 para que uma pessoa com uma conta Mi autorizada faça o flash do seu dispositivo remotamente; A Xiaomi, é claro, não recebe nada nesta transação. Pior ainda é que os usuários que acabam com um telefone bloqueado nem sempre são avaliados adequadamente por sua solução, portanto, o centro de serviço da empresa acabou substituindo a placa-mãe pela garantia, mesmo quando o telefone poderia ter sido consertado com uma solução muito mais simples e mais barata.

Ainda precisamos do EDL Lockdown?

Pelo menos para o Redmi Note 8 Pro,os desenvolvedores sugerem que a situação pode não ser facilmente resolvida com o lançamento de uma versão modificada mais recente do SP Flash Tools .Em vez disso, esses desenvolvedores sugeriram que a Xiaomi removesse a necessidade de contas autorizadas para atualização através de suas SP Flash Tools existentes. O Redmi Note 8 Pro encontra-se em uma combinação insustentável de fácil de tijolo e difícil de reviver, e isso realmente limita o potencial de um dispositivo ótimo. Isso também significa o fim de outros dispositivos Xiaomi-MediaTek, pois após esta saga, será ainda mais difícil convencer os principais talentos da comunidade a desenvolver para esta combinação OEM-SoC. O incidente do Redmi Note 8 Pro e sua solução plausível nos levam à pergunta:A Xiaomi ainda precisa bloquear o EDL ou o Modo de Download em 2020?

Desde o bloqueio, a Xiaomi se expandiu para muitas outras regiões, especialmente na Europa e no Sudeste Asiático.Isso reduziu a revenda de telefones Xiaomi como uma oportunidade de negócio lucrativa, já que consumidores em várias regiões agora podem comprar oficialmente um smartphone Xiaomi com os benefícios adicionais de preços e garantia mais baixos. A própria Xiaomi seria o melhor avaliador dessa métrica, mas é óbvio que a situação mudou drasticamente em 2020 em comparação a 2016.

O que também mudou é o mercado geral de smartphones. Agora temos mais concorrentes de valor no mercado, especialmente em regiões importantes como a Índia. Com os dispositivos evoluindo além da batalha da folha de especificações,os OEMs agora precisam se concentrar na “experiência” geral do uso de um smartphone para se diferenciar da concorrência. Vimos mais empreendimentos comunitários de OEMs, como ASUS e Realme, e esperamos ver ainda mais esforços em 2020.A Xiaomi corre o risco de perder sua própria vantagem neste espaço – a falta de esforços de desenvolvimento no Redmi Note 8 Pro incita pouca confiança para outros telefones combinados Xiaomi-MediaTek nesse sentido, o que levaria os desenvolvedores e as comunidades de seguidores ao seu redor a migrar para a próxima melhor opção. Realme ainda não existe neste contexto restrito,tirar o máximo proveito desta situação .A Xiaomi também está olhando para aumentar os preços em regiões como a Índia, reintroduzindo sua série Mi, mas sem uma comunidade de desenvolvedores saudável, que precisa de uma maneira fácil de desmarcar seus dispositivos, ela se depara com o OnePlus, que tem sido pioneiro nesse esforço. espaço.

E,finalmente,também se resume ao custo. Como vimos no Redmi Note 8 Pro, nem todos os centros de serviços estão equipados com a habilidade necessária para distinguir uma placa-mãe frita de um dispositivo com software.A remoção do bloqueio da EDL permitirá que vários clientes com experiência em tecnologia ofereçam uma chance de piscar na EDL antes de abordar o centro de serviço. Se a Xiaomi precisar substituir essas placas-mãe (quando esses telefones poderiam simplesmente ter sido atualizados e revividos) na garantia de novos telefones, isso definitivamente afetará seu balanço. É verdade que esse impacto seria minúsculo no esquema mais amplo de operações, mas quando você tem margens finas, cada centavo honesto conta, certo?

Esperamos que a Xiaomi explore outras alternativas no maior interesse da comunidade de desenvolvimento.Até lá, esperamos que você não bloqueie seu dispositivo.

Um raio de esperança para o Redmi Note 8 Pro

O desenvolvimento tem sido lento para o Redmi Note 8 Pro por causa dos motivos mencionados acima.Mas no intervalo de tempo entre escrever este artigo e publicá-lo, houve um vislumbre de esperança para o Redmi Note 8 Pro: algo que sugere que o dispositivo teve muita sorte. Um firmware de fábrica para o dispositivo vazou recentemente e os desenvolvedores descobriram que o firmware tinha várias verificações de segurança desativadas.O firmware ainda possui o bloqueio EDL de que falamos, mas expõe outras superfícies que permitem que um computador se comunique com um dispositivo em tijolos. Isso significa que, se você tiver esse firmware de fábrica instalado, você se tornará essencialmente “anti-brick” (até agora): se você acabar com o bloqueio do dispositivo, esse firmware de fábrica instalado não solicitará uma Conta Mi Autorizada e, portanto, permitirá você desmarque a si mesmo.

Existem muito mais nuances para isso, por isso recomendamos a leitura do tópico nos fóruns para isso .Uma das nuances é que você não pode desmarcar um telefone já emparedado; você deveria ter instalado este firmware “anti-brick” antes de fazer a brick. Infelizmente, essa não é uma previsão que se possa fazer com antecedência; portanto, a situação de um usuário de telefone com tijolos continuará a mesma.Também não há garantia de que outros dispositivos Xiaomi tenham essa sorte.

Oppo possui 120Hz ‘display emblemática’ susceptíveis de aparecer em Find X2 (Actualizado)

0


Um dos smartphones mais sensacionais a sair de 2018 está supostamente recebendo uma sequência este ano. Em dezembro, a Oppo anunciou seus planos de lançar o Find X2 este ano com o Snapdragon 865, uma câmera PDAF com todos os pixels da Sony e uma boa exibição. Quão boa é a exibição? Um executivo da empresa twittou alguns detalhes importantes.

Brian Shen, presidente de marketing da Oppo, twittou algumas especificações para uma exibição que provavelmente irá para o Find X2.

A Oppo chegou atrasada à corrida armamentista em telas de smartphones em comparação com seus OEMs chineses compatriotas, mas os primos corporativos OnePlus e Realme tiveram um grande burburinho com as telas de 90Hz para seus telefones 2019 .

De fato, Shen traz grandes benefícios aqui, mas eles foram combinados por um concorrente ou outro: 120Hz o colocaria na liga dos telefones Razer e ASUS ROG Phone ; O TCL possui um mecanismo de visão SDR para HDR em seu Plex ; A marca própria da Samsung de displays AMOLED em seus principais telefones pode alcançar 1.200 nits , mais; A resolução 2K e o espaço de cores DCI-P3 são características bastante comuns

Image

A parte de 120Hz permanece a mesma, mas a chamada de resolução muda de 2K para 3K. Agora, Shen usou o QHD anteriormente para presumivelmente descrever o X2 que ele está testando, por isso temos certeza de que o aumento de número pode ter a ver com a proporção da imagem, levando o eixo Y acima da marca de 3.000 pixels, mas ainda assim, apenas um pouco de engraçado negócio acontecendo.

Samsung inicia produção em massa de pacote de 16 GB LPDDR5 DRAM para smartphones

0
DRAM Samsung 16GB LPDDR5

Samsung inicia produção em massa de pacote de 16 GB LPDDR5 DRAM para smartphones
A Samsung Electronics anunciou que iniciou a produção em massa do primeiro pacote de DRAM móvel LPDDR5 de 16 gigabytes (GB) do setor para telefones premium de última geração. Este anúncio ocorre sete meses após o anúncio da empresa da produção em massa do primeiro pacote de DRAM móvel de 12 GB LPDDR5 em julho de 2019. Ele havia anunciado o desenvolvimento da RAM LPDDR5 de 8 GB (gigabit)em julho de 2018. O pacote de DRAM móvel LPDDR5 de 16 GB é baseado na tecnologia de processo de segunda geração da classe 10nm da Samsung e apresenta a maior capacidade de desempenho e armazenamento do setor. Segundo a empresa, o avanço de 16 GB liderará o mercado de memória móvel premium com capacidade adicional. Isso permitirá recursos avançados de 5G e AI, como “jogos ricos em gráficos” e “fotografia inteligente”.

A taxa de transferência de dados da RAM LPDDR5 de 16 GB é de 5.500 megabits por segundo (Mb / s), aproximadamente 1,3 vezes mais rápido que a memória móvel anterior, ou seja, LPDDR4X, 4.266 Mb / s. A Samsung diz que, em comparação com um pacote LPDDR4X de 8 GB, a nova DRAM oferece mais de 20% de economia de energia e fornece até o dobro da capacidade.

O pacote de DRAM móvel de 16 GB consiste em oito chips de 12 gigabit (Gb) e quatro chips de 8 Gb. A Samsung observa que a capacidade de 16 GB equipa smartphones premium com o dobro da capacidade DRAM encontrada em muitos PCs de jogos e de gama alta atualmente. O desempenho é certamente rápido e também suporta jogabilidade dinâmica e responsiva, além de gráficos de alta resolução em telefones premium para melhores experiências de jogos para dispositivos móveis, de acordo com a empresa.

A Samsung continua a expandir a produção de sua DRAM móvel LPDDR5 em seu site em Pyeongtaek. A empresa também planeja produzir em massa produtos LPDDR5 de 16 Gb (gigabit) com base na tecnologia de processo de terceira geração de classe 10nm (1z) na segunda metade de 2020. Isso estará alinhado com o desenvolvimento de um chipset de 6.400 Mb / s. A Samsung, maior fabricante de chips de memória do mundo, não hesitou em se promover como desenvolvendo “inovação incansável”. Ele espera que essa inovação solidifique sua vantagem competitiva nos mercados de dispositivos móveis premium, PCs de ponta e aplicativos automotivos.

O único smartphone com 16 GB de RAM LPDDR5 até agora é a variante de ponta do Samsung Galaxy S20 Ultra, que é a variante de ponta da série Galaxy S20. Nos EUA, a variante de 16 GB de RAM custa US $ 1.599 de dar água nos olhos. O Qualcomm Snapdragon 865 e o Exynos 990 possuem memória LPDDR5, enquanto o MediaTek Dimensity 1000 apresenta a memória LPDDR4X mais antiga. Todos os lançamentos de telefones Snapdragon 865, portanto, têm RAM LPDDR5, mais rápida que LPDDR4X. Podemos esperar que outros telefones principais sigam os passos do S20 Ultra. O modelo topo de linha do Galaxy Note 20 pode ter 16 GB de RAM. Também é possível para o OnePlus 8 apresentar uma variante premium de 16 GB de RAM.

Como Dar Mais Privacidade ao Telegram Escondendo o Número de Telefone

0

Quando se fala de segurança em serviços de mensagens, o nome que surge é sempre o Telegram. Este serviço garante aos utilizadores níveis de segurança que outros não têm e que não vão ter.

Mesmo com toda a segurança e privacidade que oferece de base, existe ainda pontos que podem ser ativados. Hoje explicamos como tornar o Telegram mais seguro escondendo o número de telefone.

Telegram privacidade número telefone contactos

Os usuarios não podem confiar cegamente nos serviços que usam. Precisam ser críticos e procurar nas opções disponíveis as que os ajudam a estar mais protegido e privados. Um exemplo, no Telegram, é o número de telefone poder ser consultado pelos contactos.

Tornar o Telegram mais privado

Claro que o ideal é esconder esse número de olhares alheios. Para isso devem abrir o Telegram e aceder às Configurações da app. Ai dentro devem ver o número de telefone associado à conta e também a opção Privacidade e segurança. Selecionem esta última.

Na área Privacidade devem ter várias opções. Escolham a que diz número de telefone. Esta indicará logo quem pode aceder ao número de telefone. A opção de base é Meus contactos, mas pode ser tornada mais restrita.

Esconder o número de telefone dos contactos

Abram então e vejam as opções presentes. Podem dar acesso a Todos, aos Meus Contactos e a Ninguém. A opção preferencial é Ninguém, uma vez que bloqueará o acesso ao número a utilizadores que adicionem no Telegram.

Ao fazerem essa alteração, surge uma nova opção. Quer saber quem pode encontrar o utilizador com uma pesquisa pelo número de telefone. Aqui devem alterar para Meus Contactos. Assim, apenas quem tem o telefone do utilizador na lista de contactos o pode encontrar.

Esta é uma alteração simples, mas que vai dar muito privacidade. Deixa de estar exposto com o número de telefone e nas pesquisas apenas os seus contactos reais o podem encontrar. Ficam assim de fora todos os que não querem que os encontrem.

Xiaomi Atualiza o launcher da MIUI com Funcionalidades Novas

0

Para além de excelentes smartphones, a Xiaomi cria também software único que usa nos seus equipamentos. Baseada no Android, a MIUI tem algumas criações próprias e que se adaptam ao que os utilizadores necessitam.

O Launcher desta ROM está agora a ser atualizado, recebendo novas funcionalidades que vão agradar a todos. Tudo está focado na usabilidade e na forma como os utilizadores podem aceder às apps destes smartphones.

Xiaomi Launcher MIUI funcionalidades novidades

Novidades da Xiaomi para o seu Launcher

As novidades na MIUI têm sido muitas. Novas versões têm surgido, com mudanças e novidades que melhoram ainda mais este sistema. Sempre baseado no Android, adiciona algumas melhorias que a Xiaomi tem preparado.

Curiosamente, o Launcher da MIUI tem estado parado há vários anos, não recebendo novidades. Essa posição mudou agora e a Xiaomi resolveu refrescar este elemento da sua ROM e dos seus smartphones. As novidades são interessantes e refrescam tudo o que é oferecido.

Novas funcionalidades para a MIUI

Na verdade, a primeira novidade é já conhecida de outros launchers. Falamos dos menus associados a cada app e ícone. Basta carregar num ícone para surgirem novas opções que podem ser usadas. Estes são, na verdade, atalhos diretos para partes das próprias apps.

Uma segunda novidade está na duplicação de apps. Estas podem agora ser clonadas e permitir a utilização de duas contas para o mesmo serviço. Esta era já uma capacidade da MIUI, mas acessível apenas pelas Definições. Agora está direto pelos ícones das apps presentes.

Xiaomi Launcher MIUI funcionalidades novidades

Novidades que vão chegar em breve

Há ainda pormenores gráficos que vão estar visíveis e agradar aos utilizadores. Falamos da nova animação que surge quando os Xiaomi são desbloqueados. Está sobretudo mais suave e mais apelativa. Nota-se aqui um trabalho importante.

Estas novidades estão já a ser enviadas para os smartphones da marca chinesa, ainda que de forma gradual. Deverá acontecer nos próximos dias, mas deixará de forma o Pocophone e o Redmi K20. Estes 2 smartphones usam o Poco Launcher.

Xiaomi Abandona as Suas apps e usa o Telefone e Mensagens da Google na MIUI Global

0
Xiaomi MIUI Telefone Mensagens Google

A MIUI sempre foi baseada no Android, mas tinha apps e outras otimizações da Xiaomi. Estas conseguiam dar aos utilizadores uma confiança grande e também o acesso a todas as funcionalidades esperadas e necessárias.

Mudanças grandes parecem agora preparar-se para chegar aos smartphones da Xiaomi. A marca chinesa vai abandonar algumas das suas apps e abraçar as propostas da Google. As primeiras são já o Telefone e as Mensagens.

Uma mudança radical da Xiaomi para a MIUI

Pode parecer estranho, mas a Xiaomi está mesmo a preferir as propostas da Google às suas. Depois de anos a desenvolver as suas soluções, escolheu retirá-las da MIUI e passar a instalar por omissão as que a Google tem criadas para o Android.

Esta decisão foi anunciada agora pela marca no seu fórum,mostrando também a justificação para esta decisão. Muitos podem não a entender de imediato, mas é necessária e até urgente para que os smartphones da Xiaomi possam continuar a ser usados.

Apesar de ser uma decisão da Xiaomi de forma global,esta alteração não o vai ser.A marca apenas vai fazer esta mudança nas versões Globais da MIUI e nos próximos smartphones que a marca lançar para o mercado.A versão chinesa da MIUI vai manter as apps originais.

Xiaomi MIUI Telefone Mensagens Google

Passa a usar as apps Telefone e Mensagens da Google

A razão apresentada pela Xiaomi assenta nas novas exigências que têm sido feitas. Cada país tem as suas regras de proteção de dados e isso obrigava a ter desenvolvimentos constantes das suas apps para o cumprir. Assim, ao escolher as apps Telefone e Mensagens da Google, tudo fica mais simples.

Por outro lado, esta mudança vem também trazer uma folga aos programadores da Xiaomi. A Google aplica atualizações constantes às suas apps e propaga-as pela sua loja. A marca chinesa vai, no entanto, adicionar algumas funcionalidades suas a estas apps através da MIUI.

Pode parecer uma mudança radical da Xiaomi, mas a verdade é que a empresa chinesa acaba a ganhar. Deixa assim de manter as suas apps para os mercados mais exigentes e liberta recursos para outras áreas onde podem ser mais úteis e importantes.